quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Ela tem uma grande mala!

Talvez alguém lhe dê carona...

13 comentários:

  1. Bom dia, minha querida amiga Gatinha!!!
    Ahahahahahahahaha... que maravilha!
    Minha querida amiga, com esta grande e bela mala é carona na certa... ahahahahaha... com toda esta bagagem é "macuco no embornal"... kkkkkkkkkkkkkk...
    Valeu minha querida amiga, é favas contadas... rsrsrsrsrsrsrs...
    Tenha um dia maravilhoso, feliz e abençoado!!!
    Beijinhos com carinho e muita paz!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia querido amigo Luis
      kkkkk A mala é enorme e não tem nada de bela, mas tem muita arrumação rsrsss
      Deve ser nesno "macuco no embornal"... seja lá o que isso for kkkk
      Tenha um dia feliz e abençoado
      Bjinhos no coração

      Eliminar
    2. Bom dia, minha querida amiga Gatinha!!!
      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...
      Minha querida amiga, achei enorme e bela, é que gosto de mala branca... ahahahaha...
      Ahahahahahaha... este é um termo usado pelos mineiros que indica certeiro, sem nenhuma dúvida... macuco é um pássaro e embornal é tipo de uma sacola do caipira feita de pano, com uma alça para pendurar no pescoço... é a caça na sacola... rsrsrsrsrs...
      Valeu minha querida amiga!!!
      Beijinhos no coração!!!

      Eliminar
    3. Bom dia querido amigo Luis
      kkkkkk Já calculava que era a mala branca rssss Aqui usamos mesmo dizer "aquela tem uma grande mala" referindo-se a um grande bumbum kkkkk
      Essa expressão é muito engraçada mas não dá para nós, nem temos macuco nem embornal. Temos cuco e bornal kkkk
      DEve corresponder ao "tiro e queda" ou "cada tiro cada melro"
      Bjinhos no coração

      Eliminar
    4. Bom dia, minha querida amiga Gatinha!!!
      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...
      Minha querida amiga, aqui também se usa a mesma frase para o mesmo destino... ahahahahahahahaha...
      Vai dar para usar uma expressão semelhante... "cuco no bornal"... fui conferir, o bornal é semelhante ao nosso embornal, mas o macuco é uma grande ave, maior que uma galinha, caça usada na alimentação do caboclo, já o cuco acho que não vai servir, é pequenino e não pesa nada, tadinho... acho que ele fica melhor no relógio... kkkkkkkkkkkkkkkkkk...
      Aqui também usamos a expressão "tiro e queda", é a mesma coisa... já a outra não usamos, não temos o melro, mas temos os pardais... vamos ter que usar "cada tiro cada pardal"... rsrsrsrsrsrs...
      Valeu minha querida amiga!!!
      Beijinhos no coração!!!

      Eliminar
    5. Bom dia querido amigo Luis
      kkkkkkkk Hoje é o dia da passarada rsrsss
      Esse macuco deve ser parecido com a abetarda que é quase como um peru, existe no Alentejo. O cuco não é grande, mas é maior que o pardal e é muito fino pra pôr os ovos nos ninhos das outras aves. Aqui também chamam cuco aos cornudos kkkkk
      Quanto aos melros não sabia que aí não existem... São lindos, dum negro azulado e bico amarelo. São um pouco menores que as rolas e agora são aves protegidas, é proibido caçá-los, estavam em extinção mas acho que já não correm esse perigo. Há imensos até nos parques e jardins da cidade e cantam muito bem. Essa de "cada tiro cada melro" usa-se muito para aquelas pessoas que têm muitos filhos kkkk o marido não falha um tiro rsrssss
      Bjinhos no coração

      Eliminar
    6. Bom dia, minha querida amiga Gatinha!!!
      kkkkkkkkkkkkkkk...
      Minha querida amiga, fui conferir a abetarda, ela é maior que o macuco, este fica entre a galinha e o peru, pouco maior que uma galinha.
      O pardal, se tirar as penas, não sobra quase nada... rsrsrsrsrsrs... o cuco só conheço o do relógio, o danado é um esperto parasita, usa o ninho dos outros... kkkkkkkkkkkkkk...
      Aqui, não temos nem o melro e nem o cuco, mas conheço o melro, antigamente muita gente tinha este pássaro em cativeiro, depois sumiu tudo... acho que eram importados dai.
      Ahahahahaha... boa essa do "cada tiro cada melro"... rsrsrsrsrs...
      Valeu minha querida amiga!!!
      Beijinhos no coação!!!

      Eliminar
    7. Bom dia querido amigo Luis
      Eu acho que a abetarda deve ser parenta do perú kkkkk
      Pardais aqui há muitos, mas ninguém os come, ainda não chegamos a esse ponto kkkkk O cuco também não se come. Eu nunca vi um cuco, mas ouço-o muitas vezes. Ele faz cucu cucu cucu. Quando a gente o ouve é sinal que começou a Primavera. Mas anda escondido, ninguém o vê. A gente pergunta alto pra ele:
      - Ó cuquinho da ribeira, quantos anos estou solteira?
      Ele responde cucu cucu etc e a gente conta os cucus e fica a saber kkkkkk
      Eles não fazem ninho. Vão de ninho em ninho pondo os seus ovos, atiram fora os ovinhos dos passarinhos e deixam um seu em cada ninho. Depois as fêmeas chocam aquele ovo e ficam alimentando o cuquinho que vai crescendo e fica muito maior que os pais adotivos.
      Bjinhos no coração

      Eliminar
    8. Bom dia, minha querida amiga Gatinha!!!
      Sim, minha querida amiga, a foto é bem parecida com o perú, deve ser prima... kkkkkkkkkkk...
      Aqui também temos muitos pardais, mas também não comemos, nem tem o que comer, só se for para fazer uma sopa de penas... ahahahahaha... mas com a crise, não sei não se não vão acabar indo para a panela... sopa de penas ao caldo de pardais... kkkkkkkkkkkkk...
      Aqui o cuco só serve para contar as horas naqueles velhos relógios de parede, a cada hora abre uma portinha, ele sai e canta cucu cucu, em sintonia com o número de horas, depois das seis é uma infinidade de cucus... kkkkkkkkkkkk... o relógio também é chamado de cuco.
      Aqui também temos um pássaro que faz a mesma coisa, ele é parecido com o melro, todo preto e mais ou menos do mesmo tamanho, é chamado de chupim.
      Valeu minha querida amiga!!!
      Beijinhos no coração!!!

      Eliminar
    9. Bom dia querido amigo Luis
      Em tempos mais antigos havia quem comesse pardais, era um petisco servido em restaurantes, penso que para acompanhar cerveja ou outra bebida. Eram caríssimos. "Há passarinhos" era o aviso de que havia pardais. Mas ninguém os caçava à chumbada.. Apanhavam-nos de noite, tadinhos. Nas aldeias há umas medas muito grandes que é a forma de guardar a palha do centeio. Vão arrumando os molhos da palha uns sobre os outros e no cimo tem uma espécie de chapéu feito com o mesma palha e que não deixa entrar a chuva. Os pardais metem-se nessas medas para dormirem quentinhos, são às centenas. Então eles vão lá, jogam uma rede sobre a meda e apanham-nos todos, uma barbaridade.
      Conheço muito bem esses relógios de cuco, temos vários na família, são muito engraçados. Uma vez entrou uma empregada nova e apanhou um susto enorme kkkk Ela estava sózinha na sala e ouviu cucu cucu cucu... Pensou que estava alguém escondido e fugiu apavorada ahahahha
      Vou ver como é esse chupim... Nós temos o chapim, um passarinho pequenino e colorido, muito bonito
      Bjinhos no coração

      Eliminar
    10. Bom dia, minha querida amiga Gatinha!!!
      Minha querida amiga, aqui também houve um tempo que se comia muitos pássaros, caçavam tudo que encontravam pela frente e metiam na panela, mas não sei se os pardais também faziam parte desta panelada... tadinho dos bichinhos... Hoje é proibido matar pássaros de todas as espécies, todo tipo de caça é proibido, somente os índios podem caçar.
      Ahahahahahahahaha... a empregada nova acabou apanhando um grane susto com o cuco... rsrsrsrsrsrs...
      Fui conferir, o chapim é lindo, todo colorido, não conhecia, também não temos por aqui. O chupim é uma ave tipicamente brasileira, mais encontrado na região sul, é todo preto.
      Valeu minha querida amiga!!!
      Beijinhos no coração!!!

      Eliminar
    11. Não sabia que aí a caça é proibida... Aqui tem uma época em que é permitida e outra em que é proibida.
      Mas mesmo na época de caça há certas espécies que não podem caçar, aquelas que estão ameaçadas. É um desporto muito caro, implica várias licenças. Pessoas que matam qualquer animal protegido e são apanhadas, pagam multas pesadíssimas e muitas vezes esses animais dão grandes prejuízos. Na serra do gerês os javaliz dão cabo das hortas dos lavradores e eles não os podem matar. Recebem uma compensação mas nunca cobre o prejuízo além de chegar tarde e mal. A mesma coisa com os lobos. Na aldeia do meu avô os lobos matam as ovelhas nos montes, deixam uma matança infernal, muitas mal mortas a sofrer, é um horror. E não podem matá-los porque o lobo ibérico está em extinção. As águias vêm da serra do Gerês e matam as pombas, os pombos correios, uma tristeza. Houve um homem que matou uma que lhe deu cabo dos pombos correios mas ficou tudo caladinho e esconderam a águia e ele safou-se.
      Quando acaba o defeso abre a caça mas não é para todas as espécies ao mesmo tempo. Abre a das rolas, a dos coelhos,a das lebres,a do pato bravo e assim. Deve ter a ver com a época da procriação. Alguns ricaços têm tapadas de caça onde fazem caçadas ao javali, à raposa, etc. Aí as regras são diferentes. Os caçadores não podem lá entrar sem serem convidados mas podem entrar livremente em qualquer outra propriedade.
      Fui ver o chupim, é muito parecido com o melro, mas o melro é mais bonito. o bico é amarelo e as penas têm reflexos azul nacarado.
      Bjinhos no coração

      Eliminar
    12. Sim, minha querida amiga, aqui a caça é totalmente proibida, de qualquer espécie, as multas são caras e algumas espécies em extinção são punidas com pena de reclusão, sem direito à fiança. Aqui as causadoras de estragos são as capivaras, um enorme roedor que detona tudo que vê pela frente, principalmente as roças de arroz e milho.
      Só é permitida a pesca, mais também é controlada e com intervalos para desova e procriação.
      Sim, o melro é mais bonito, tem um belo bico. Aqui também temos uma ave que é preta e as penas têm reflexos azuis, chama-se Azulão, ou Azulão-Bicudo, é lindo e canta maravilhosamente, mas o bico é preto.
      Valeu minha querida amiga!!!
      Beijinhos no coração!!!

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...